A cultura da não resposta

guess what Comunicação 25 Novembro, 2015

A cultura da não resposta

Desde sempre que me debato com uma situação que se está a tornar cada vez mais frequente na nossa sociedade e que me incomoda deveras, pelo simples facto de revelar uma total falta de respeito para com os outros. Refiro-me à ausência de resposta a e-mails, telefonemas ou mensagens que muitas pessoas adotam na vida profissional e até pessoal. Chamo-lhe a “cultura da não resposta”.

Quando observamos a realidade de outros países, a situação é exatamente a oposta. É impensável alguém não responder a um e-mail que lhe é endereçado ou até mesmo devolver uma chamada não atendida. Em Portugal, infelizmente o comportamento é este. O de ignorar quem está do outro lado. Porquê? Por falta de tempo, por falta de educação, por preguiça ou simplesmente porque não querem saber.

Se já é inaceitável não obtermos uma resposta quando contactamos alguém a nível pessoal, essa questão torna-se mas grave quando é transposta para o plano laboral. Seja a resposta a um simples pedido de reunião ou à apresentação de uma proposta ou plano estratégico que nos é solicitado.

Uma vez que a mudança de comportamentos é algo extremamente difícil de alcançar, não acredito que esta postura seja alterada. No entanto, deixo uma sugestão aos administradores de empresas deste país, no sentido de inverterem esta realidade e disciplinarem os colaboradores a serem mais responsáveis. A criação de uma norma interna que eduque e incentive as pessoas a responderem a um e-mail, a uma mensagem ou a devolverem uma chamada.

@Sofia Aguiar, Senior Communication Consultant