Como captar a mensagem de um comunicado de imprensa no espaço de um minuto?

guess what Comunicação 27 Agosto, 2014

Um estudo norte-americano divulgado no final de Julho revela que os jornalistas continuam a ser bombardeados com comunicados de imprensa diários – 45% recebe 50 press releases por semana e 21% recebe no mínimo 100 – mas a maioria leva menos de um minuto a ler o documento. Quer isto dizer que o desafio que se coloca aos assessores de imprensa, atualmente, é o seguinte: como captar a atenção do jornalista neste curto período de tempo?

Uma tendência que já se verifica a nível mundial por parte das marcas é complementar a divulgação de um comunicado com outros métodos mais imediatos e curtos, nomeadamente o tweeter e os blogues oficiais das empresas. O exercício “less is more” deverá ser cada vez mais uma prática comum e o recurso a elementos de multimédia, bullet points e links para outras peças de informação relevantes poderão ser ótimos aliados.

O inquérito veio reforçar a ideia de que os media pretendem comunicados que vão diretos ao assunto e funcionem como um resumo dos factos. A pesquisa indica ainda que os testemunhos usados nos press releases são raramente aproveitados pela classe jornalística porque a linguagem não é natural e não são suficientemente claros para redigir uma notícia com base nessas declarações. Um terço dos inquiridos afirma ter usado raramente declarações retiradas de comunicados, enquanto 13% diz que nunca usou e 28% utiliza em último recurso.

Com o aproximar da reentre 2014 e perante esta realidade, será útil repensar a forma como escrevemos e divulgamos os comunicados de imprensa. Sim, porque apesar de muitas opiniões em contrário e segundo os especialistas na matéria, este método de comunicação não está em risco de extinção. É e continuará a ser uma das muitas fontes de informação em que o jornalista confia. Os media gostam de receber notícias de diferentes formas, sejam estas divulgadas através de um post num blog, num tweet ou num comunicado que lhes chega à caixa de correio eletrónico. A única mudança que iremos sentir nos próximos tempos irá manifestar-se ao nível dos conteúdos e formas de divulgação.

©Sofia Aguiar, Senior Communication Consultant