Gerapolemix, o Assange gaulês

guess what Comunicação 6 Novembro, 2015

Nos locais habituais, já se vende a nova aventura de Asterix, chamada “O Papiro de César”. Nela, Júlio César, vitorioso, escreve a história das suas conquistas (o tal papiro), omitindo que nunca conseguiu conquistar uma certa aldeia gaulesa. Para defender a sua honra, Asterix e Obelix, não se importam mesmo nada de dar uns sopapos a uns romanos.

Mas vamos ao que interessa. O novo capítulo, já sem a participação dos autores originais por ausência forçada, debruça-se sobre as novas formas de comunicar. Primeiro, César não escreveu o seu livro, recorreu antes a escritores fantasmas. Bem, isso não é assim tão novo. No centro da ação, está um jornalista gaulês que quer meter a boca no trombone e denunciar as malvadezas de um estado poderoso. Gerapolemix esteve para se chamar Wikilix (ring a bell?) e move mundos para que a verdade prevaleça. Do outro lado, há um spin doctor. Vendetudus é quem diz a César para esquecer alguns “pormenores” para que a sua imagem saia límpida para a opinião pública e é ele que tenta evitar o sucesso de Assange, perdão Gerapolemix. Como piada, temos ainda alguns anacronismos como o envio de mensagens através de pássaros azuis, chamados….tweets.

@Francisco Reis, Senior Communication Consultant