Comunicação em Saúde

Transplantação e estudantes de medicina no portfolio da Guess What

guess what Comunicação, Relações Públicas 2 Agosto, 2013

A Guess What acaba de reforçar o seu portfólio de contas da área de healthcare com dois projetos ligados à medicina: o congresso iMed 5.0, organizado pela Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (AEFCML) e a Sociedade Portuguesa de Transplantação.

O iMed – Innovating Medicine Conference® é um congresso que pretende trazer a inovação, na primeira pessoa, a estudantes da área das Ciências da Vida. A 5ª edição realizar-se-á nos dias 11, 12 e 13 de Outubro de 2013, na Reitoria da Universidade NOVA de Lisboa, e, sob o tema condutor “Medicina Personalizada”, trará pela primeira vez a Portugal quatro premiados Nobel da Medicina e da Química: Harald zur Hausen, Nobel da Medicina em 2008, Robin Warren, Nobel da Medicina em 2005 e Ada Yonath, Nobel da Química em 2009. A Guess What está encarregue da divulgação pré-congresso e do gabinete de imprensa durante os trabalhos a realizar em Outubro.

Já a Sociedade Portuguesa de Transplantação, atualmente liderada por Fernando Macário, nefrologista, tem como missão a promoção e divulgação da atividade científica relacionada com a transplantação em Portugal e contará com o apoio da Guess What na divulgação mediática das suas principais ações e na implementação do Dia Nacional do Transplante.

A Guess What conta no seu grupo de healthcare com uma equipa especializada com mais de 15 anos de experiência na área da comunicação em saúde e representa em Portugal a GLOBALHealthPR, uma network internacional de agências de relações públicas líderes, independentes e com fortes expertises na área da saúde, com sede em 24 países.

Já faltou mais para andarmos de estetoscópio ao peito…

Dentista, siso e marketing digital?

guess what Comunicação, Digital 9 Maio, 2013

A crise instalou-se no país e, sobretudo, agarrou-se que nem um parasita mental ao mindset de empresas, empresários, clientes, consumidores… Enfim, pessoas. E enquanto o mercado se vai contraindo, áreas que tradicionalmente viviam sem grande ligação a práticas de promoção, comunicação e marketing, começam a questionar o que podem fazer para dar a volta ao negócio.

São tempos desafiantes em que o evolucionismo de Darwin, agora aplicado à sobrevivência das empresas enquanto agentes económicos, mostra que a continuidade do negócio está sobretudo dependente da capacidade de adaptação aos novos tempos. Esta adaptação passa pela diferenciação do produto ou serviço, por uma política de preço alinhada com o posicionamento da empresa (mas também com o mercado) e por uma estratégia de comunicação que permita mostrar ao mundo quem somos, o que fazemos e porque somos diferentes, melhores que os concorrentes.

Os consultórios de medicina dentária são um exemplo de uma área que, tanto por motivos regulamentares como culturais, viveu durante muitos anos sem procurar profissionalizar a abordagem de marketing e comunicação. Os mais diversos motivos, certamente também relacionados com a crise e a contração dos mercados, fizeram com que 2012 fosse um ano particularmente negro para esta classe profissional, que perdeu cerca de 40% da sua faturação face ao ano anterior, segundo declarações do Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas. Como podem os dentistas e as clínicas de medicina dentária captar mais clientes neste cenário?

É claro que a resposta não é simples e encerra em si uma multiplicidade de fatores de negócio. De qualquer forma, aqui fica o nosso contributo com algumas ideias-chave no domínio do marketing digital:

  • Dados do Google Trends dizem-nos que existem 135.000 pesquisas mensais da palavra “dentista”;
  • O Digital Agenda Scoreboard (2011), da Comissão Europeia, concluiu que 36% dos utilizadores de Internet procuram ativamente informações na área da saúde;
  • O Global Trust in Advertising Survey (Q3, 2011), da Nielsen, refere que as fontes de informação mais credíveis para os consumidores são (para além das recomendações de pessoas conhecidas), as opiniões de pessoas colocadas online (reviews) e os branded websites;
  • Keywords como “dentista”, “dentes”, “clínica dentária”, “ortodontia” e “implantes dentários” representam um volume de pesquisas nacionais no Google superior a 307.000;

Não será preciso mais para ilustrar a importância do território digital para os consumidores em geral e para os clientes de clínicas dentárias em particular. De que forma estão os dentistas a defender o seu território online e usar estas plataformas (websites, redes sociais, blogs, publicidade nos motores de busca…) para divulgar os seus serviços e captar novos clientes? Em mais de 300 mil pesquisas online por mês destes temas, o potencial não será certamente pequeno. Se você não for a resposta às perguntas do seu target, alguém será… Food for thought!

Guess What organiza reunião mundial sobre comunicação em saúde

guess what Comunicação, Digital, Relações Públicas 24 Abril, 2013

Lisboa foi a cidade escolhida para acolher a reunião anual da GLOBALHealthPR, a maior rede internacional de agências independentes especializadas em saúde. A Guess What é a representante do Grupo em Portugal e ficará responsável pela organização do encontro que juntará mais de 20 especialistas em comunicação de saúde, entre 1 e 3 de maio.

As novas tendências de comunicação online e offline, a situação atual do Serviço Nacional de Saúde e seu impacto nas estratégias de marketing e a gestão de crise no setor da Saúde são alguns dos temas que serão discutidos por representantes dos seguintes países: Espanha, México, Austrália, Alemanha, França, EUA, Índia, Brasil, Argentina, Reino Unido, Singapura, Chile e Portugal.

Diagnóstico? Marketing “Digitalite” Aguda

guess what Comunicação, Digital 20 Março, 2013

O marketing digital é umas das mais recentes causas de insónia dos marketeers da indústria farmacêutica. O hype é grande e, para as estruturas internacionais, o apetite voraz que estas plataformas estimulam tem feito subir a tensão de equipas que se movem num ambiente de marketing habitualmente mais tradicional.

Mas hoje os circuitos de contágio comunicacional são tudo menos tradicionais. O vírus da web 2.0 contaminou milhões nas redes sociais em Portugal. O acesso está em todo o lado: em 2014 teremos mais utilizadores web em smartphone e tablets do que em PC (dados Morgan Stanley).

Ainda mais importante, a Comissão Europeia (Digital Agenda Scoreboard) diz-nos que a saúde é a segunda área mais pesquisada online, logo a seguir à informação sobre produtos e serviços. Oportunidade?

Para grandes males, grandes remédios… E vamos assistindo a campanhas de marketing que vencem a timidez do ambiente regulamentar (sem provocar falta de ar aos responsáveis de Regulatory Affairs) e mostram como é possível dar um boost de energia à comunicação online de saúde.

Como exemplo, aqui ficam alguns psico-estimulantes, a consumir regularmente para reforçar a dose diária de inspiração e criatividade:

Facebook: Monstro das Ressacas (Jaba)

Facebook: Passa a Palavra (Sanofi Pasteur)

Facebook: Super Pais contra o Chichi na Cama (Ferring)

Web: Passa a Palavra (Sanofi Pasteur)

Web: Enurese Noturna (Ferring)

Pinterest: Novo Nordisk

Pinterest: Boehringer Ingelheim

Pinterest: Menarini Espanha

 

Primeira edição do Re-Thinking Pharma 2013-2023

É com prazer que anunciamos que fomos a agência de comunicação escolhida para desenvolver a comunicação da primeira edição do evento Re-Thinking Pharma 2013-2023, uma iniciativa direcionada a todos os profissionais da indústria farmacêutica.

O “Re-Thinking Pharma 2013-2023” é um projeto da autoria da Pharmaplanet que pretende constituir-se como a reunião magna anual para Profissionais 
da Indústria Farmacêutica e terá lugar no Hotel Aqualuz em Tróia, nos dias 17 e 18 de Maio de 2013. A organização prevê a participação de 500 participantes, 25% dos quais em funções diretivas na indústria farmacêutica.

Saúde: que Modelo de Estado Social?

guess what Comunicação, Relações Públicas 21 Janeiro, 2013

A Guess What presenciou este importante debate que decorreu hoje de manhã no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa e contou com a participação de Paulo Macedo, Ministro da Saúde, Maria De Belém Roseira, Adalberto Campos Fernandes, Pedro Pita Barros e Isabel Vaz.

Uma iniciativa da Antena 1 e Universidade Nova moderada por Jorge Correia naquele que foi o seu última ato enquanto jornalista (novos desafios aguardam o Jorge a quem desejamos as maiores felicidades).

Ideias referidas por Paulo Macedo a reter: o Governo não quer alterar o SNS dentro de uma sustentabilidade ainda não conseguida; grande parte do Orçamento da Saúde de 2013 será utilizado para pagamentos atrasados a fornecedores; o futuro passa pela eliminação de duplicações de serviços e subsistemas (como é o caso da ADSE). Confirmou-se também a ideia de que quem percebe muito disto é Maria de Belém, atenta, informada e articulada.

Uma agenda para 2013 que faz bem à saúde

guess what Comunicação, Relações Públicas 9 Janeiro, 2013

Uma agenda serve para nos lembrar dos compromissos, reuniões, tarefas, contas a pagar… Mas também pode fazer bem à saúde. E foi a pensar na conjugação destes fatores que, no início de 2013, a Guess What se juntou à Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) na criação de uma agenda que pretende sensibilizar para a prevenção do cancro do ovário.

À LPCC e à Guess What associaram-se também várias figuras públicas que quiseram dar um rosto e uma voz a esta causa, cedendo a sua imagem e testemunho a algumas das páginas da agenda. Carla Rocha, Diana Pereira, Noémia Costa, Rita Ferro Rodrigues e Tânia Ribas de Oliveira ajudam a reforçar a mensagem que a LPCC quer transmitir a todas as portuguesas: é importante ir regularmente ao ginecologista, mesmo depois da menopausa.

A agenda foi oferecida a várias jornalistas e bloggers portuguesas para que possam passar a palavra, reforçar a divulgação desta mensagem e também, enquanto mulheres, tornarem-se mais atentas à sua saúde. Mais uma iniciativa da agência que em Portugal mais originalmente trabalha a comunicação de saúde!

Indústria Farmacêutica no Twitter

guess what Comunicação, Relações Públicas 1 Setembro, 2009

pfizer

A Pfizer é já uma das gigantes farmacêuticas a marcar presença no Twitter. Provavelmente terá sido uma necessidade sentida ou, pelo menos, uma oportunidade reconhecida internamente para criar uma relação mais directa com o público.

Mas como sabemos, o ambiente regulador é bastante restritivo no que diz respeito à comunicação entre farmacêuticas e público. Para complicar um pouco mais, todo o fenómeno das redes sociais passa ainda ao lado dos reguladores pelo que não existem propriamente guidelines específicas para este tipo de ferramentas.

No 3 Minute Ad Age de ontem, Ray Kerins, Vice Presidente de Comunicação da Pfizer, fala sobre algumas das dificuldades que tem sentido nesta sua aventura pelas “malhas” das redes sociais.

Uma questão de timing (e de lata)

Guess What Assessoria Mediática, Comunicação, Eventos 29 Maio, 2009

 

Quarta-feira, 27 de Maio, Dia Mundial da Esclerose Múltipla. Conferência de imprensa para assinalar a efeméride. Na sala ao lado e por coincidência, decorre a reunião das Administrações Regionais de Saúde com a presença de várias personalidades ligadas à área

A caminho da toilet o Consultor cruza-se com a Ministra da Saúde e não perdoa. Apresenta-se e lá vai Information Kit  para o Ministério. Infelizmente para ambos havia fotógrafo por perto…

A Generis e um bom negócio

Guess What Comunicação, Relações Públicas 27 Janeiro, 2009

As várias noticias divulgadas sobre a venda da Generis por cerca de 200 milhões de euros a um fundo económico gerido por João Talone (Magnum Capital), vêm relembrar que em Portugal ainda existem empresas estrategicamente bem geridas, que não necessitam de apoios estatais para sobreviver, fazer lucro e pagar os seus impostos.

Num passado recente (assessoria em comunicação para a abertura da fábrica da Generis no Cacém, iniciativa que contou com a presença de Aníbal Cavaco Silva), tivemos o prazer de trabalhar de perto com os dois responsáveis máximos da Generis, Paula Paiva dos Santos e Pedro Moura e pudemos comprovar de perto que, uma estratégia definida a médio e longo prazo, vale mais que qualquer choradinho público.

Em primeiro lugar o nome. Na área da produção e comercialização de genéricos, deter uma empresa com um nome tão representativo é trunfo.

Depois a liderança. Quando os capitães defendem o rumo do navio de forma carismática, todos remam para o mesmo lado e os objectivos são atingidos mais rapidamente. Para além disso, um porta-voz que sabe o que quer transmitir, recorrendo por vezes a soundbites comuniccaionais, acaba sempre por ganhar mais espaço mediático.

Por fim, o reconhecimento da importância da comunicação como importante instrumento de gestão da reputação e potenciador de marca. Ao longo dos últimos anos a Generis foi a companhia nacional farmacêutica que mais investiu (é verdade, esta é a palavra) na tv, rádio e em projectos de Relações Públicas.

Numa das últimas reuniões em que estivemos, discutiu-se entre outros temas, o Relatório de Contas da companhia. Paulo Paiva dos Santos considerava uma obrigação moral a apresentação pública das contas da Generis e tinha pena que outras entidades não o fizessem, mesmo não sendo obrigadas (não cotadas em bolsa). Seria bom que mais pensassem assim, sem prurido e com transparência.