Consultoria

Comunicação 360º: realidade ou mito?

guess what Comunicação 14 Setembro, 2017

No seguimento do post anterior, que faz uma análise sobre o panorama (difícil) dos media nacionais, julgo que é importante refletirmos igualmente sobre a nossa atividade enquanto Consultores de Comunicação. Isto porque, se por um lado cada vez nos deparamos com maiores dificuldades no desenvolvimento de ações que têm como base a assessoria de imprensa, por outro sentimos que de dia para dia este trabalho não reflete, de todo, o esforço e o empenho que colocamos nele.

O que podemos fazer como consultores de comunicação?

Na minha perspetiva um consultor de comunicação tem, cada vez mais, de alinhar estratégias de uma forma global – daí o conceito de Comunicação 360º. Precisamos de nos renovar, reinventar e sermos mais ousados. Vejo este conceito como a forma de gerir uma mensagem de uma forma integrada nos diferentes meios (tradicionais ou online) e deixar de concentrar a mensagem em determinados períodos. Este é o verdadeiro desafio que se impõe!

Julgo que o caminho será pensarmos em estratégias onde todos os pontos estejam interligados e se complementem: assessoria de imprensa, gestão e campanhas de redes sociais, publicidade (online e offline), maximizando assim os resultados.

Claramente, o conceito de comunicação 360º é uma realidade para acontecer já.

O futuro não se adivinha fácil mas será, com toda a certeza, desafiante!

@Joana Borges, Senior Communication Consultant

Pela boca morre o peixe

guess what Comunicação 19 Janeiro, 2017

O Sporting Clube de Portugal está em crise. Aqui não há grande novidade. O clube está habituado a crises. Com três campeonatos nacionais conquistados nos últimos 35 anos, as crises são habituais. Não deixa de ser de louvar, ver mais de 40 mil pessoas a apoiar a equipa, nos jogos em casa.

Este ano, fomos (sim, sofro pelo Sporting), afastados da Liga dos Campeões em novembro, da Liga Europa em dezembro, da Taça da Liga e da de Portugal em janeiro. Restam-nos 17 jogos de campeonato e estamos a oito pontos do líder. O que falhou? Contratações demasiado caras para o rendimento que os jogadores apresentaram? Talvez mas disso, percebo pouco.

Um dos pontos que falhou foi a comunicação. O Sporting optou por um caminho de fanfarronice e ataque cerrado em várias frentes. Com um dos melhores treinadores portugueses da atualidade, uma boa época de 2015/2016 e uns milhões gastos em jogadores, supostamente de primeira linha, era legítimo haver ambição. Mas essa ambição foi suplantada pela fanfarronice. Se a fanfarronice é má na hora da vitória, pior é nas derrotas, dando azo a que o fanfarrão seja ridicularizado. Pior ainda são as guerras. O Sporting dispara em todas as frentes e em geral, perde as guerras em que entra.

Como consultor, a minha tática seria a de contenção. Defender bem, controlar o meio campo e depois sim, atacar em força. Quando se tiver balas para isso.

@Francisco Chaveiro Reis, Corporate Division Manager