Trump

Política de comunicação de Bolsonaro

Ideologias à parte, figuras como Jair Bolsonaro ou Donald Trump, são muito interessantes do ponto de vista da forma como comunicam. Ambos sabem quem é o seu público e é para ele que falam, de uma forma que pode parecer inocente mas que é estudada e pensada. Ambos ignoram ou chegam a hostilizar a comunicação tradicional e focam-se nos novos meios ao seu dispor, mais diretos e sem contraditório. E como se prova pelos resultados obtidos nas eleições, ambos são comunicadores brilhantes ou pelo menos, estão muito bem rodeados, mesmo que seja tentador fazer deles, meras caricaturas.

Ler Mais

Protocolo Digital

guess what Digital 23 Novembro, 2016

A maioria das pessoas não foi imune ao boom da era digital e nos dias que correm poucas são as que não têm conta numa das várias redes sociais mais conhecidas, o mesmo aconteceu ao nível da presidência dos Estados Unidos da América, onde surgiu a oportunidade de inovar e comunicar com os cidadãos americanos

O Presidente Obama foi o primeiro presidente dos EUA a ter uma presença ativa em diversas redes sociais, como o Facebook e o Twitter, foi o primeiro presidente a fazer um direto através do Facebook, a responder a questões de cidadãos no Youtube e o primeiro a utilizar um filtro do Snapchat.

Agora com as eleições e com Trump como presidente chegou a altura de entregar a pasta, assim como as redes sociais, algo que nunca tinha sido feito até aos dias de hoje e que foi um desafio para o Departamento de Comunicação Digital do Presidente dos EUA.

Será então interessante criar protocolos para as presenças online de figuras políticas, como presidente, primeiro-ministro ou alguém da família real?

@Mariana Zoio, Digital Trainee

O candidato que ganhou as redes

guess what Comunicação 15 Novembro, 2016

Donald Trump é presidente dos EUA. Até pode parecer ficção mas é realidade. A 20 de janeiro, o multimilionário e estrela de reality show tomará posse, sucedendo ao carismático Barack Obama. O assunto já foi estudado pela lente política, social, económica, entre outras. Mas como viram as redes sociais a eleição de Trump?

Um estudo da COMbyCOM debruçou-se sobre as redes sociais portuguesas e a forma como estas reagiram à noite eleitoral. Entre as 10 hashtags mais usadas, 8 diziam direta ou indiretamente a ver com as eleições. As eleições geraram 211,4 milhões de impressões, mais de 160 mil menções e moveram quase 100 mil utilizadores. Nas redes sociais venceram as mulheres. A maioria dos posts feitos sobre o assunto foram escritos por mulheres (63 por cento). O sentimento demonstrado pelas redes foi predominantemente neutro (47 por cento) e negativo (31 por cento). Apenas 22 por cento das publicações foram positivas.

Também a blogosfera portuguesa opinou. Segundo um estudo da plataforma Blogs Portugal, mais de metade (55 por cento) dos blogues portugueses que escreveram no dia 9 de novembro sobre a eleição de Donald Trump como presidente dos EUA, referiram-se ao republicano de forma negativa. 45 por cento dos blogues consideraram neutro o resultado das eleições e cinco por cento, optaram por um tom positivo, conclui a análise do diretório Blogs Portugal em conjunto com a Guess What. As opiniões sobre Trump nos blogues portugueses tiveram eco em mais de 500 mil seguidores nas redes sociais.

Donald Trump percebeu cedo a importância das redes sociais e já lhes reconheceu grande importância na sua vitória: “The fact that I have such power in terms of numbers with Facebook, Twitter, Instagram, et cetera, I think it helped me win all of these races where they’re spending much more money than I spent. And I won,”. Ainda assim, Trump prometeu ser mais comedido mas não resistiu a uma alfinetada ao NY Times. Mais sobre a ligação de Trump com as redes sociais aquiaqui ou aqui.