Vai trabalhar blogs em 2017? É melhor ler estes 7 mandamentos

guess what Digital 16 Dezembro, 2016

A terminar o plano de marketing e comunicação para 2017? Se incluiu a gestão da relação com blogs, este post foi escrito para si.

Se tem dúvidas sobre o peso da blogosfera nas decisões de compra, estes dados são esclarecedores: entre janeiro e dezembro de 2016, foram publicadas 64.608 referências a marcas em 700 mil posts.

As categorias de vestuário, beleza ou gadgets recebem uma atenção especial mas há muitos segmentos com expressão relevante. Os resultados foram apurados no estudo “Marcas + populares na blogosfera | 2016”, desenvolvido pelo Blogs Portugal e a Guess What.

Curioso para saber que marcas estão no top 10 de referências no setor? Os resultados estão todos aqui.

Entretanto, para ajudar a planear uma comunicação com blogs eficaz, partilho sete “mandamentos” para trilhar caminhos bem sucedidos na blogosfera:

1 – Bloggers não são jornalistas. A base informativa até pode ser similar em alguns casos, mas as dinâmicas ou são adaptadas ao target ou a reação que vai obter é um clique em “delete”.

2- Spam… é spam. E não gera resultados. Insistir em informação desadequada não vai gerar mais resultados, nem todos os blogs vão querer focar os mesmos temas. Segmente mensagens por comportamentos e interesses.

3- Não existe compromisso editorial nem controlo de mensagem. Cada blogger tem a sua abordagem. Cabe-nos a nós compreendê-la e saber que são livres de publicar quando e se pretenderem. Enviar um kit não garante um post, é preciso saber criar a relação, adaptar conteúdo e conhecer os interesses do blogger.

As parcerias pagas podem ser avaliadas quando queremos garantir mensagens e timings exatos mas, primeiro, é obrigatório enquadrar o resultado que pretendemos na estratégia de comunicação: Divulgação? Talvez uma parceria paga possa ser útil. Se estivermos a falar de recomendação, será que os leitores não valorizarão mais uma opinião espontânea assente na experimentação?

4 – Os blogs (já) não são território sem lei. Falando de parcerias pagas, é fundamental aplicar os mecanismos previstos na lei com vista a garantir a transparência nas relações entre blogs e marcas. Mantenha-se a par pois a regulação deverá evoluir nos próximos anos, a bem da confiança dos próprios consumidores/ leitores nas recomendações dos blogs – sem confiança, o canal deixará de ter valor!

5 – Adaptar e personalizar é a regra. É um facto: vai consumir mais tempo mas também maior eficácia. Como fazê-lo? Aposte em grupos restritos de blogues com afinidade à marca e acompanhando-os a longo prazo.

6 – Gostamos de agir e… reagir (ou a regra de ouro da relação personalizada). Nem sempre o momento certo para uma marca coincide com o do blog. É importante criar o contexto e tornar a mensagem “incontornável”. Há muitas formas de o fazer: efemérides, criatividade que “exige” uma partilha imediata nas redes sociais…

No entanto, timing é tudo: alguns dos melhores resultados surgem em resposta ao momento do blog. Implica acompanhar mas a “reação” personalizada gera resultados. Tem dúvidas? Dou-lhe uma certeza: a ação da Guess What com maior taxa de eficácia (98%)  não estava prevista no plano da marca. Detetámos uma oportunidade, impactámos um grupo de blogs com afinidade e… 98% publicou pelo menos um post em resposta.

7 – Medir, medir, medir. Mas atenção aos dados privados. Avaliar resultados é essencial para saber se estamos no bom caminho e como melhorar. No entanto, há dados privados. Contrariamente à imprensa, obrigada a ceder dados tiragem ou circulação, um blogue não tem essa imposição. Como resolvemos? Definimos previamente com o cliente os KPI’s que podemos garantir e, em parcerias, definimos com o blogger os dados a ceder. E, claro, a estratégia é criada em função do que é mensurável e relevante à mecânica e objetivo.

@Nélia Silva, Senior Communication & Digital Consultant