O papel da comunicação para mudar o futuro

Uma boa comunicação pode ter um papel fundamental para a mudança de mentalidades. Assim vemos através de exemplos do passado, mas também por casos recentes de busca pela mudança. Hoje em dia, as causas sociais não são apenas um chavão – fazem parte da comunicação de muitas marcas, dando resposta também às necessidades dos consumidores atuais.

Nunca, como hoje, as pessoas estão tão alerta para as questões sociais e ambientais. As marcas têm acompanhado esta maior consciencialização e algumas têm surpreendido pela forma como incorporam estes desafios nas suas estratégias de Marketing. 

No Brasil, a Uber lançou uma campanha contra o racismo ao retratar situações reais vividas em viagens. Além de reforçar o seu posicionamento perante a questão, a empresa procura alertar para o tema tirando partido da sua vasta comunidade de utilizadores. 

Recentemente foi lançada a Peryod, uma marca portuguesa de roupa com mensagens feministas, de empoderamento e de consciência social. As protagonistas da campanha têm várias tonalidades de pele, cabelo e olhos, bem como corpos um pouco fora da linha habitual do mundo da moda. 

Há muito que a Dove tem ilustrado nas suas campanhas uma preocupação com a autoestima feminina. A marca lançou agora a campanha “Evolution” que alerta para uma questão que assume uma importância cada vez maior: a manipulação excessiva de imagens, sobretudo nas redes sociais. A prática já tem impacto na saúde mental de muitos jovens, sendo que, de acordo com a Dove, duas em cada três raparigas já tentaram editar, pelo menos, um aspeto do seu corpo antes de avançarem com a publicação de uma fotografia.

A sustentabilidade é também um aspeto que os consumidores valorizam cada vez mais. Segundo o estudo “Consumo Sustentável na Europa”, 85% dos consumidores portugueses são sensíveis ao consumo sustentável. 

A comunicação já mostrou no passado o seu potencial para conseguir alertar para determinadas questões. É, assim, importante que as empresas auscultem as necessidades e preocupações dos consumidores, para não correrem o risco de ficar alienadas das questões atuais, mas também perceberem o papel que podem desempenhar neste contexto. Porque tudo aponta para que a comunicação continue a contribuir para a sensibilização de causas relevantes. E, com isso, também para um futuro melhor para todos. 

Tatiana Henriques, Communication Consultant